Arquivo da tag: Mundo Feminino

A maldição do banheiro feminino

Padrão

Todo homem se pergunta por que as mulheres gostam de ir juntas ao banheiro. É claro que a maioria das vezes é para fofocar. No caso do meu trabalho… a gente vai é para INVESTIGAR. Para tentar descobrir quem foi a fdp querida que fez merda por lá. (Literalmente! )São simplesmente revoltantes as cenas que presenciamos nos banheiros femininos, e deixo aqui registrados meu protesto e indignação! A maioria da mulherada não tem respeito nem educação. No meu local de trabalho até mesmo as faxineiras já relataram fatos horrendos. Disseram que preferem mil vezes limpar o banheiro masculino ao feminino…

O pior é saber disso e, ainda assim, presenciar coisas toscas… Aqui existe uma senhorita (?) que nunca dá descarga para o nº 1, quem dirá para o nº 2! Acreditamos ser a mesma que também não lava as mãos (ela sempre sai da cabine quando não tem ninguém do lado de fora aguardando e vai embora sem nem abrir a torneira para despistar). Nunca ninguém conseguiu pegá-la em flagrante delito, apesar das inúmeras tentativas. Ela nem dá descarga, nem lava as mãos. Eca!

Será a mesma senhora porquinha que só joga o papel usado fora do lixo? Será ela que também erra na mira e faz suas necessidades no chão? Quanta porcaria para uma só pessoa… Minha tese é de que existem umas ‘ogrinhas’ por aqui que adoram por a culpa nos outros. Cada uma é especialista numa nojeira. Enquanto há quem deixe o absorvente aberto e na vista de todos por cima do lixo, há quem deixe respingar xixi no assento do vaso e nem se preocupe em limpar. Penso se é proposital… É uma falta de respeito! Como diria Boris Casoy, é uma ver-go-nha.

Vai ver existe um carma dentro de cada banheiro feminino. Uma maldição, sei lá. Já que os pequenos cartazes pregados nas paredes pedindo mais educação não têm dado resultado, muito menos nossas infrutíferas investigações, o jeito é rezar e apelar pro santo especialista em banheiros… Alguém aí conhece algum?

Ana.

Foto retirada deste site.

 

Anúncios

HOMENS: Ogro do Pântano x Troglodita Highlander

Padrão

Buzz Lightyear de Lego, em tamanho real!

Queridas leitoras,

Ser mulher no século XXI não é fácil, ser homem também não deve ser. Entretanto, há certos hábitos masculinos que incomodam e assustam profundamente qualquer dama moderna, antiga ou até mesmo da idade média. (Isso para não dizer que qualquer uma broxa vendo isso, e cai por terra toda e qualquer possibilidade de “créu”, já que o monossílabo está na moda atualmente…)

Pois então. Pensando no bem estar das mulheres que lêem este blog, no telecoteco depois do jantarzinho romântico e, é claro, na boa imagem dos machos de plantão que me prestigiam por aqui, classifiquei os homens em duas “catigurias”:

  • Ogro do Pântano – faz tudo de nojento que quase todo homem faz. Apesar de todos saberem que tais atos (ou a falta deles) seriam o cúmulo da nojeira, tais são socialmente aceitas desde a idade da pedra, infelizmente;
  • Troglodita Highlander – a famosa “visão do inferno” para uma mulher. Não só faz coisas nojentas, como também consegue potencializá-las a níveis nunca dantes imaginados. Ânsia de vômito e antipatia mortal é o mínimo que pode causar em qualquer mulher normal.

Preparados? Apontados? Então segura na mão de Deus e vem comigo!

– Homem coçando o saco em local público: Ogro do Pântano
– Homem coçando o saco por dentro da calça em locais públicos: Troglodita Highlander

– Homem palitando os dentes em público: Ogro do Pântano
– Homem palitando os dentes em público, porém colocando a mão por cima achando que despista alguma coisa: Troglodita Highlander

– Homem que rói unha: Ogro do Pântano
– Homem que rói unha, coça o saco, e rói unha novamente: Troglodita Highlander

– Homem com as unhas do pé grandes: Ogro do Pântano
– Homem com as unhas do pé grandes, com micose, fungos e o pé sujo e com chulé: Troglodita Highlander

– Homem com cabelinhos saindo para fora do nariz e da orelha: Ogro do Pântano
– Homem que fica tentando retirar com a sua pinça de sobrancelha, na sua frente, no espelhinho do carro, os cabelinhos que ficam saindo para fora do nariz e da orelha: Troglodita Highlander

– Homem que arrota alto e em público: Ogro do Pântano
– Homem que arrota alto, em público, e em cima de você, assoprando na sua cara para espalhar o “cheirinho”: Troglodita Highlander

– Homem que fica observando e admirando a camisinha usada na sua frente: Ogro do Pântano
– Homem que enche a camisinha usada de água e aperta, brincando como se fosse um balão: Troglodita Highlander

– Homem que usa cueca furada: Ogro do Pântano
– Homem que usa cueca velha, poída, furada e patacada (a famosa freada de caminhão): Troglodita Highlander

– Homem que não tira a meia pra transar: Ogro do Pântano
– Homem que só abre a braguilha da calça na hora agá: Troglodita Highlander

– Homem que não usa fio dental: Ogro do Pântano
– Homem que passa fio dental deixando a sujeira pipocar em quem está do lado e ou come a sujeira que sai no fio dental, em cima da cama: Troglodita Highlander

– Homem que joga a roupa usada no chão, do jeito que tirou do corpo, toda embolada e vai empilhando: Ogro do Pântano
– Homem que acha que é obrigação da mulher catar a roupa suja dele jogada e embolada no chão: Troglodita Highlander

– Homem que não abre a porta pra deixar a mulher passar: Ogro do Pântano
– Homem que fecha a porta na cara da mulher depois de passar primeiro (ou seja, nem segura a porta pra pobre passar): Troglodita Highlander

– Homem que dá dinheiro pra mulher comprar o próprio presente de Natal ou aniversário: Ogro do Pântano
– Homem que simplesmente esquece e ou ignora tais ocasiões: Troglodita Highlander

– Homem que esquece o nome dos parentes da mulher: Ogro do Pântano
– Homem que esquece o nome dos parentes da mulher e ainda por cima chama todos eles de “tiozão/tiazona”: Troglodita Highlander

Ahhh, tá bom, né, acho que deu pra sentir o clima… (E ainda assim a gente continua insistindo! risos)

‘Té mais!

Ana.

Obs. 1: Este texto não seria escrito não fosse pela colaboração e as boas risadas junto com minha amiga e Bela.
Obs. 2: É claro que sei que não existe homem perfeito. Ou melhor, se é que existe, deve ser gay. Mas não custa nada prestar um pouquinho de atenção nas próprias ações, ser mais asseado e ter mais consideração com a gata que está com você! 😉

(Foto e texto: Ana Letícia.)

Da dor de se amar demais

Padrão

Poderia me abstrair de tudo e dizer, e acreditar, simplesmente, que me basta um amor tolo, como o tempo de duração do filamento de uma lâmpada comum, tácito, plácido, de desejo, pura e simples, explícito em tons pastéis, lânguido e preguiçoso. Não, não posso. Não sou assim.

Não costumo economizar. Há de sobra empolgação, falta de noção. Sou moça de horas, de dias, de anos, anos-luz. Mulher da dor de se amar demais e de se entregar, de ser perfeccionista com tudo o que faço e sinto.

Não há nada pela metade. Meias-palavras, meia foda, meia-calça. Meia-luz, pode até ser. Mas nem 8, nem 80. Ou é ZERO, ou é CEM. E vou de 1 segundo a 1000 km/h (e vice-versa) de olhos fechados, na fração de um momento, na feição, na emoção, no olhar, na letra, na ponta dos pés, no pingo do i. E é aí que mora o perigo!

E de tanto querer, há tanto sofrer. Tanta responsabilidade, tanta dor. E há tanto prazer… E há o lembrar, e há o sentir, e há o cheirar, e há o gostar. Pois não há amor sem gosto, lembrança sem cheiro, música sem gozo.

E depois daquele beijo, há a quebra. Há o limite ultrapassado, e tudo se torna tão bom quanto uma fotografia perfeita, a luz que aquece e ilumina seus loiros pelos, como num quadro de um filme, como um filamento de ouro deliberadamente largado, esquecido, sobre suas vestes… E tudo fica tão engraçado quanto numa comédia de palhaços tristes, tão natural quanto deitar na relva e sentir o cheiro da chuva, acariciar seu cão, dormir abraçadinho, mesmo quando não se está com sono, comer banana com queijo e lamber o fundo do prato até não sobrar um resquício de amor sequer.

Ana.

Texto e Foto: Ipê Amarelo: by Ana Letícia.

Plano Dentário

Padrão
Impressionantes são as torturas a que nos submetemos…

Como se não bastasse ter nascido mulher, quase na virada do século XX para o XXI, com o rompimento de diversos paradigmas, e vivendo os conflitos que a sociedade nos impõe, essa coisa de ser bonita e feminina, namorada, esposa, mãe, e ainda por cima, ser inteligente, independente e ter sucesso profissional, ainda temos alguns desconfortos extras.

Nem falo aqui sobre TPM, aí seria desgraça demais. Salto-alto, soutien, depilação… Está bom ou querem mais? Ainda por cima me inventaram o tal do aparelho dentário. E os exames que têm q ser feitos para colocá-lo.

Thousand Miles. Toca meu celular. É a música do despertador. 7 horas. Queria dormir mais… Pra quê fui beber ontem? Ai. Minha cabeça dói. Tenho que dar um jeito no bafo de cabo de guarda-chuva, senão o técnico da clínica vai até desmaiar. Ops! Quase caí. Sei lá, estou meio sem equilíbrio hoje. Será por quê?

Preciso de café. E água. Litros dela. Nunca mais eu bebo. Se bem que sábado tenho o casamento da “Diabárbara” com o “Fuinha” e terei que abrir uma exceção no Prosecco… E o aniversário da Delita na 3ª feira que vem e vai ser naquele restaurante especializado em champagnes e espumantes… E o show do Chapéu Panamá na 5ª… Aff! Concentração. Água, café… Anda Ana, passe uma água no rosto. Puts, que olheira… Tenho que voltar com os cosméticos da dermatologista urgente! Banho. Isso, preciso de um banho para acabar com este cheiro de álcool que estou exalando.

Alma renovada, banho tomado. Perfume ok. Escovar os dentes. Uma, duas, logo três vezes. Nem Listerine hoje pode dar conta do recado. Pego a chave do carro. Será que tenho condições de dirigir? Ai meu pé! Tropecei na porta do elevador… Agora não dá mais tempo de voltar para pegar um Band’Aid. Já estou atrasada!!!

Oba! Vaga na porta! Bem que no papel com o pedido de exame falava que tinha estacionamento para clientes. Que rua mais apertada, não são nem 8h da manhã e já está lotada de carros! E ainda por cima é rua sem-saída…

Bom dia, moço, tudo bem? Vocês têm algum convênio aí? Não, o meu é não é nenhum desses aí. Vai ter que ser particular mesmo. Quanto dá? R$ 60,00??? Meu Deus do céu… Moço, você não vai acreditar… Ou melhor, moço, você vai ter que acreditar. Hoje é sexta-feira, são 8:15h da manhã, eu fui dormir ontem às 4h, e esqueci tudo em casa. Como tudo? Uai, estou sem dinheiro e sem talão de cheques aqui. Ah, aceita cartão de crédito? Beleza então. Toma aqui o meu… Ihhh, moço, deixei o cartão na outra bolsa. Pra quê serve esta carteira vermelha aqui? Ahhhh moço, não faz pergunta difícil não! Posso fazer o seguinte: deixo minha identidade aqui e de noite passo pra pagar e buscá-la, ok? Isso, fale com a gerente… Ela deixou? Ah, que bom. Ok, aguardo você me chamar então.

É aqui que eu sento? Ai moço, está machucando minha gengiva!!! Que troço de plástico duro é esse que você está enfiando na minha boca? Ah! É a chapa pro Raio-X… Ô moço, xô te falar um negócio, está osso ficar aqui com a cabeça torta e esse trem enorme dentro da minha boca, ferindo tudo… O que é isso que está apontado pra minha cabeça??? Credo, parece uma espingarda. Ah, é o próprio aparelho de Raio-X… Pronto? Ufa! Uai, como não doeu nada? É claro que doeu, moço, esse negócio é praticamente uma faca de plástico cortando minha boca por dentro…

É pra ficar quietinha aqui nesta cadeira? Tudo bem… Se eu dormir você me acorda. É que meu olho está pesado, sabe… Dor de cabeça. Zzzzzzzzzzz…

Ahn? Ahn? Onde? Como? Ah… É você, moço… É pra abrir a boca? Isso parece um bico de pato… Tem uma gosma branca aqui moço, é nojento. Ah tá, é pra fazer o molde… Aiiii, estou engasgando! Juro que essa coisa está escorrendo pela minha garganta! Ai moço, vai demorar muito? Só mais 2 minutinhos? Aff, queria ver se fosse você com essa cola encostando na sua glote…

Moço, já está na hora de tirar?

E agora? Posso tirar?

Ai moço, tira isso, por favor!

Aiiiii!!! Não arranca meus dentes junto com isso não!!! Grudou na minha língua, eca, eca. Posso ir embora, né! Ah não…? Ainda tem o da parte de baixo? Aaaaaaaahhhhhhhhh!

Ana.

19 comportamentos femininos que (quase) todos os homens odeiam

Padrão
Abre parêntesis. Este texto vai para os meus queridos, amados, idolatrados, salve-salve, leitores do sexo masculino que freqüentam este blog; para todos aqueles que se sentiram injustiçados, ou quem sabe se identificaram com alguns (ou todos?) dos 54 quesitos do texto anterior; para o caro leitor que se revoltou contra esta reles plebéia que vos fala; e mais, para você, homem deste meu Brasil varonil, que não tem coragem de comentar ou até mesmo admitir que lê este blog; ou ainda você, que chegou aqui procurando fotos sensuais de garotas mineiras no google (e não encontrou)
Também dedico este texto às nobres mulheres que lêem, comentam e dão risadas, choram, se divertem e se emocionam com este blog; a você, querida amiga, que não sabe porque irrita tanto seu homem; ou que não se conforma em ser um repelente vivo de machos… Fecha parêntesis.

1. Fazer listinha para tudo.
Pois é, a gente faz listinha pra tudo mesmo… Listinha para o sacolão, listinha para o supermercado, listinha dos livros que quer ler, listinhas dos presentes de Natal, e o pior: listinha de comportamentos masculinos que nos irritam!

2. Reclamar de hábitos masculinos por serem tipicamente masculinos.
É verdade que deixar a tampa do vaso sanitário levantada, a toalha molhada em cima da cama, e a cueca suja jogada no chão do banheiro nos irritam mesmo. Só que não adianta ficarmos reclamando disso eternamente, afinal, são comportamentos tipicamente masculinos, inerentes à personalidade de qualquer varão “normal”. São esses deslizes irritantes que eles cometem que fazem deles o que são, tão diferentes de nós, e por isso mesmo, tão irresistíveis!

3. Esnobar o cara quando ele fica te ligando direto, e reclamar (e até chorar) nos dias em que ele não liga.
O negócio é o seguinte: as mulheres gostam de atenção. Mas tudo que é em excesso é ruim. Ligar demais é ruim, ligar de menos também. Mas esnobar o cara só porque ele está afim de você, e você não está afim dele… aí já é sacanagem. Melhor abrir o jogo de uma vez, ou então, se for namorado, combinar de se falar às tantas horas somente, X vezes por dia, porque senão enche o saco mesmo. Quando ele não te ligar, não se estresse. Todo mundo precisa de um tempo, de ter seu próprio espaço. Você também não precisa do seu?

4. Dar ouvidos a conversas de amigas solteiras (ou insatisfeitas com seus homens), e que fazem questão de ficar ensebando o seu relacionamento.
Pois é. Aí é difícil mesmo evitar. No entanto, a gente tem que ter em mente que o que conta mesmo em matéria de relacionamento é a nossa opinião, o nosso coração. Cada um é de um jeito, e as pessoas muitas vezes dão conselhos ruins (porque se conselho fosse bom, a gente vendia…). Já ouviu aquele ditado: em briga de marido e mulher não se mete a colher? É bem por aí…

5. Querer mudar o estilo (ou a falta de.) de seu namorado.
Não adianta querer que ele use aquela camiseta pink descoladíssima da Calvin Klein que você pagou o olho da cara para presenteá-lo, pois ele sempre terá que ter a última palavra no quesito roupa. E teimará em usar a camisa surrada dele do Wolwerine, ou aquela outra com o desenhozinho “Xô Stress” (que ele comprou há 10 anos quando foi à Bahia)… Mesmo que para você ele não tenha nenhum estilo, isto, por si só, já é um estilo. Viva com isso!

6. Perguntar pra ele se você está gorda.
Acredite, todo homem odeia isso, sem exceção. Sabem por quê? Porque eles simplesmente não sabem o quê responder. Se você realmente estiver um pouco acima do peso e ele responder que sim, está gorda, pronto, divórcio na certa. Se ele disser que você tem a cinturinha da Barbie, quando você sabe que é mentira (pois isso é humanamente impossível), vai rolar stress do mesmo jeito. Então, minha amiga, confie no seu taco, se ache a gostosona, e não pergunte!

7. Perguntar a ele que roupa você deve vestir.
Nananinanão. Nunca pergunte isso. Homem não entende nada de moda (nem da masculina), não sabe nem a hora em que está com fome, e você ainda quer que ele escolha entre o vestidinho floral ou a calça jeans com bata frente única? Sem contar que a melhor roupa para você usar, na cabeça dele, é a mais fácil de despir!!! Neste caso, novamente, vale a regra do confie no seu taco. Ele te achará linda de qualquer jeito.

8. Tomar banho de perfume.
Não vá pensando que quanto mais eau de toillete você passar, mais linda seu homem vai te achar. Acredite: ele prefere você sujinha, com aquele cheirinho de “fêmea”, que exalando J’Adore. Sejamos realistas: se você não consegue ficar sem usar perfumes, seja ao menos comedida.

9. Cismar que em qualquer angu tem caroço.
Mulher tem essa mania de cismar com qualquer coisinha.
– achar que ele vai encontrar a “princesa encantada” no boteco copo-sujo;
– achar que está cheio de mulher dando mole no campo society;
– achar que se ele falou A, é porque ele quis dizer B.
É aquela coisa de sempre querer encontrar chifre em cabeça de cavalo, cachorro no mato e caroço no angu. É que a gente esquece que homem tem um modo de pensar totalmente diferente de mulher… Se a gente não cismasse tanto, a vida seria bem mais fácil, para ambos os lados!

10. Ciúmes.
Aí é que mora o perigo. Este sentimento besta, possessivo e infantil, que nos faz subir pelas paredes, xingar a própria mãe, arrancar os cabelos e amaldiçoar até a 5ª geração dele. Não adianta querer competir com os amigos ou a família dele, meu bem, você vai perder. Sempre. Exemplos de chiliques por ciúmes mega irritantes:
– achar que ele está comendo toda mulher com que trava um mísero diálogo;
– achar que, quando ele dá licença para uma moça passar na frente no ônibus ou em qualquer outro tipo de fila, está querendo comê-la.

11. Querer que ele perceba de cara a sua mais recente “mudança radical”.
E por mudança radical, entenda: cortar a unha do mindinho do pé ou fazer a sobrancelha. Acredite, a não ser que você tenha o cabelo grande batendo na bunda, e resolver fazer um corte a lá Joãozinho, ou que pinte seus cabelos pretíssimos de loiro oxigenado, é impossível para um homem macho-chô notar qualquer diferença em você. Pode até ser que ele te ache mais bonita, diferente… Mas nunca, nunquinha, descobrirá sozinho o porquê. Nem adianta brigar, just deal with it!

12. Lavar a própria lingerie no chuveiro e deixá-la dependurada na torneira do box.
É verdade. Por mais linda que você fique com a sua calcinha e seu soutien, entenda que elas ficam bonitas no seu corpor, e não molhadas a secar no box do banheiro. Eles sabem que estão limpas, mas mesmo assim têm nojo e acham isso horrível! Melhor levar pra área de serviço e pôr para secar no varal, e assim evitar constrangimentos e encolhimentos indesejados (com trocadilho).

13. Querer conversar na hora do jogo de futebol.
Nesta hora, os homens simplesmente não querem conversar. Não adianta dizer que a casa está pegando fogo, ou que sua mãe teve um ataque cardíaco, ou ainda, que a sua lipo ficará em “só” R$ 10.000,00. Futebol é futebol. São 23 homens em campo por causa de uma bola. Mas é futebol, ponto. E não se fala mais nisso.

14. Falar mal da mãe dele, para ele.
Todo homem tem aquele complexozinho básico de Édipo, e suas mães, por mais jararacas que sejam, serão sempre as Deusas do universo, as mais perfeitas, lindas, maravilhosas e angelicais criaturas que o Todo Poderoso já criou. Se não quiser ficar solteira, melhor fechar o bico, tratar bem a sogra, e não falar um A sobre ela (com ele).

15. Falar mal dos amigos dele, para ele.
Idem acima. Acredite, seu homem sabe que os amigos dele são isso e aquilo, que eles são as piores pestes do mundo, são escrotos, mal-educados, fedorentos e só falam putaria. Mas são os amigos dele, poxa! E como já foi dito alhures, nem pense em competir ou difamar!

16. Adorar fazer compras, a qualquer hora, em qualquer lugar.
Pode ser na feirinha da rua de baixo, na galeria da esquina ou no shopping. Até em supermercado e farmácia mulher adora comprar. Parar na frente de qualquer vitrine iluminada, e obrigar seu homem a parar junto, para ele é muito irritante, o tanto quanto possa ser irritante para você ficar assistindo o jogo do XV de Piracicaba x Democrata de Sete Lagoas.

17. Achar que sempre está certa numa briga do casal.
É claro que, em 99% das vezes, estamos certas. Mas não custa nada ter um pouquinho de humildade para entender e ouvir o lado dele. Vai que o 1% resolve dar o ar de sua graça? Neste caso tem que admitir que estava errada e colocar o rabo entre as pernas mesmo.

18. Ser sensível ao extremo.
Homens gostam de mulheres sensíveis e carinhosas. Mas acham ridículo e irritante mulher que chora por qualquer coisinha! Controle seus nervos, amiga, mas seja você mesma e não perca a sua essência, jamais!

19. Usar de manifestação oral indireta para falar de nossas vontades.
Ao invés de sermos diretas, temos mania de só dizer as coisas indiretamente, e isto é extremamente trabalhoso e irritante para qualquer homem, que tem que ficar raciocinando e tentando decifrar nossas vontades a todo tempo. Por exemplo, dizer “Ai amor, estou toda arrepiada com este ventinho gelado!” Ao invés de pedir, simplesmente, para ele fechar a janela.


Só lembrei destes 19… Sugestões?

Ana.

Ps.: Agradecimentos especiais aos meus colaboradores, que deram algumas idéias:
Rodolfo Barreto (no item 1);
Queiroz (nos itens 2, 3, 4 e 17);
Thiago (nos itens 9, 10 e 19).

54 Comportamentos masculinos que quase todas as mulheres odeiam:

Padrão
  1. Sempre tentar te levar pra cama no primeiro encontro;
  2. Sempre tentar te levar pra cama no segundo encontro;
  3. Sempre tentar te levar pra cama no terceiro encontro;
  4. Não fazer bem as preliminares;
  5. Dormir logo após o sexo;
  6. Ir embora logo após o sexo;
  7. Falar que vai ligar e não ligar;
  8. Não atender ou “dar end” no celular;
  9. Não responder seus e-mails ou mensagens no celular;
  10. Não retornar sua ligação;
  11. Não deixar recado na secretária eletrônica;
  12. Responder seus e-mails ou mensagens no celular monossilabicamente;
  13. Não falar nunca sobre os próprios sentimentos;
  14. Não admitir que gosta de você;
  15. Ficar te “cozinhando”;
  16. Sumir o final de semana inteiro sem dar notícias, e aparecer na 2ª feira com a maior cara dura, como se nada tivesse acontecido;
  17. Jogar verde para colher maduro sobre tudo;
  18. Sair com você com a mesma roupa com que foi ao estádio de futebol sem nem tomar banho;
  19. Sempre preferir assistir a qualquer jogo de futebol, ainda que seja do XV de Piracicaba contra o Democrata de Sete Lagoas, a conversar com você;
  20. Tomar cerveja junto com todas as refeições, todos os dias;
  21. Roncar alto, sem parar;
  22. Arrotar alto na sua frente, de propósito;
  23. Peidar alto na sua frente, de propósito;
  24. Palitar os dentes;
  25. Roer as unhas;
  26. Não cortar/cuidar das unhas dos pés e ou das mãos;
  27. Não fazer a barba regularmente;
  28. Não retirar os pelos da monocelha;
  29. Não fazer limpeza de pele;
  30. Usar meias furadas, velhas e relaxadas;
  31. Usar cuecas feias e velhas;
  32. Usar meias brancas com sapatos e calças de cor escura;
  33. Atrasar para o encontro;
  34. Usar camiseta regata ou bermuda para sair à noite;
  35. Sempre discordar de você;
  36. Omitir fatos e ou contar mentiras bobas;
  37. Balbuciar “an-han” pra todas as frases que você diz, sem estar ouvindo nada, na realidade;
  38. Te puxar pelo braço com toda a velocidade para que você não pare para ver vitrines no shopping;
  39. Cultivar a barriga, sem ligar a mínima para fazer uma dieta ou ir à academia;
  40. Comer assistindo televisão, lendo jornal ou revista, sem te dar atenção;
  41. Ser machista;
  42. Não reparar seu novo corte de cabelo, sua roupa nova ou em como você emagreceu;
  43. Não lavar a louça após o jantar sem você ter que pedir;
  44. Não lavar as próprias cuecas e meias;
  45. Contar vantagens sobre si mesmo o tempo todo;
  46. Não gostar de ler;
  47. Não gostar de música;
  48. Não gostar de dançar;
  49. Ficar contando casos sobre as ex-namoradas;
  50. Não falar nada sobre as ex-namoradas;
  51. Ser racional e insensível ao extremo;
  52. Não saber fazer compras no supermercado seguindo a lista;
  53. Nunca fazer pesquisa de preços para comprar nada;
  54. Não gostar de fazer compras…

Ana.

Ps.: A lista acima não é numerus clausus, aceito contribuições via e-mail ou caixa de comentários.

CONFLITOS ARMADOS – vol. II

Padrão

Trabalho x Viagens

Pausa. Tomei um café (péssimo, por sinal) com adoçante, é claro. Comi uma bolacha integral. Light, é claro. 😉
Tento ver o infinito. Só reparo no parapeito da janela… A floreira de cima tem uma goteira, que chega a formar estalactites… As gotículas que pingam na floreira de baixo, estão a formar estalagmites…
Aula de geografia no trabalho (?), e eu aqui viajando!

Aninha x Ana

Introspecção e reflexão no dia de hoje. Um pouco down, talvez. Tento abraçar o mundo com minhas mãos, mas só posso dar um passo de cada vez. Quero resolver o problema dos outros, os meus não. Mas só consigo mesmo é ser uma chata.
Desculpem minha crise… já já, passa.

Tudo para me esconder e disfarçar… Por que será que eu faço isso?

Cazuza x Cássia Eller

“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

Que ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia
E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio, o mel e a ferida
E o corpo inteiro como um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente não
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio pra dar alegria

(Tá, agora eu consegui ficar deprê. :-P)

Ana.

CONFLITOS ARMADOS – vol. I

Padrão
Patroas x Domésticas

Minha blusa de liganete preta, novinha, que eu nem terminei de pagar ainda e só usei uma vez, está estragada, queimada de ferro de passar roupa, com fios puxados e esgarçada em algumas partes. Preciso dizer mais? No further comments.

Homens x Mulheres

Cueca. Calcinha, calcinha de renda, de algodão, de lycra, de cotton, calcinha de lacinho, calçola, fio-dental.

Meia. Meia-calça, meia soquete, meia de ginástica, meia de ballet, meia 7/8, meia fina, meia grossa, meia com bumbum, meia sem a ponteira, meia que emagrece, meia que tira celulite, meia que comprime a barriga, meias Kendall.
Calça comprida. Calça jeans, calça cigarrete, calça social, calça corsário, calça preta, calça de ginástica, calça bailarina, calça pantalona, calça boca-de-sino, calça pescador.
Pente. Escova de pentear, escova de escovar, secador de cabelos, chapinha, pente de madeira, pente-fino.
Sunga. Biquíni, maiô, bolsa de praia, protetor solar, canga, cadeira, guarda-sol, óculos escuro, creme para pentear os cabelos, toalha, saída de praia.
Tênis. Scarpin, salto-agulha, plataforma, sandália de dedo, channel, bota de cano alto, bota de cabo baixo, bota peter-pan, sapato bonequinha, sapatilha, anabela.
Carteira. Bolsa, espelho, caneta, bloquinho de papel, telefone celular, carregador, batom, gloss, corretivo, blush, rímel, lápis de olho, o.b., modess, escova, pente, óculos, óculos escuros, desodorante, neosaldina.
Ponto final. Et cetera.
Desejo x Ideal x Realidade
O desejo é o inimigo da realidade. Porque eu digo isso? Ora, pois quando desejamos algo, criamos em nossa mente um ideal de situação, tentamos planejar tudo para alcançarmos este ideal. No entanto nos esquecemos que, por ser IDEAL, nunca se tornará realidade, já que se situa no plano das idéias, e o que está na mente, não está na realidade.

A situação ideal, a circunstância ideal, utópica, nunca existirá. E sempre colocamos e criamos situações por trás de circunstâncias, e vice-versa, como se nós mesmos impuséssemos obstáculos instransponíveis para o alcance daquele desejo. Aí é que eu pergunto: será que realmente desejamos aquilo que pensamos desejar? Se ao criarmos estas barreiras esperando que o ideal ocorra – e este, por ser utópico, nunca se realizará – significa que não obteremos o que desejamos, e, sabendo disso, é possível concluir que, na verdade, não o desejamos tanto assim… Pois, se realmente quiséssemos com todas as nossas forças, não nos boicotaríamos tanto, impondo tantas dificuldades para nós mesmos e para os outros.

(To be continued… or not.)

Texto, foto e viagem na maionese por: Ana.

Mulheres à beira de uma ataque de nervos

Padrão
(ou)

TPM, A VERDADE NUA E CRUA.

Quem nunca pecou, que a tire a primeira pedra. E saiba que se essa pedra vier de uma mulher com TPM, tenha consciência que ela será maior, mais pontiaguda e dolorosa que você pode imaginar. Afinal, qual dos homens nunca sofreu com sua mãe, irmã, namorada ou esposa durante este período? Os nervos estão aflorados, os humores alterados, e uma simples gota d’água pode virar a pororoca do Rio Amazonas.

Abaixo, segue uma listinha das coisas que podem transtornar uma mulher com TPM a ponto de presenciar a transformação uma linda e doce gatinha manhosa no Godzilla ou coisa pior.

Convidar para ir ao clube (ou à praia, para aqueles que moram na zona litorânea)

Durante a TPM e o período menstrual propriamente dito, a maioria das mulheres se sente gorda, feia, cheia de celulites e espinhas. A explicação para isto é simples: retenção de líquidos. Portanto, qualquer programa que envolva mostrar o corpitcho em formato de bola nestes dias é sinal de briga na certa!

Convidar para ir ao Shopping experimentar roupas

Não se engane pela carinha de satisfação dela quando a convidar para ir ao shopping durante esses dias. Toda mulher se empolga com esta palavrinha que soa como música aos ouvidos! No entanto, em virtude do mesmo motivo elencado no item anterior, é bem provável que sua amada idolatrada salve salve esteja com até 2 kg acima do peso normal. Vestir uma calça jeans justérrima da Calvin Klein neste dia, ou um vestidinho lindo da Colcci está fora de cogitação! E é melhor nem insistir, pois corre o risco de sua noite acabar na cama (em quartos separados!).

Fazer críticas, piadas ou brincadeiras sobre ela

Tenha em mente o seguinte: qualquer coisa que você disser será ouvido como uma acusação de terrorismo, pedofilia, ou tortura aos animais, ou o que você achar de pior no mundo. E não venha dizer que é uma crítica construtiva, uma ajuda, um toque para que ela melhore seu comportamento. A bomba H já terá sido lançada, e o resto da história você conhece: o mau humor detona a fúria nuclear de destruição, que aflora com toda a sua violência na pele de sua outrora doce e meiga namorada.

Recusar de fazer alguma coisa
Pois é. Não é que você tenha que ser um “pau mandado” não. Mas é que ao som do monossílabo NÃO, uma mulher com TPM:
a) Abrirá o maior berreiro, com direito a soluços e gasto de muitas caixas de lenço;
b) Se transformará no “Incrível Hulk” e sairá quebrando tudo e derrubando paredes até te alcançar e esmagar todos os seus ossos;
c) Sairá pisando duro e batendo a porta na sua cara, gritando e esbravejando impropérios e amaldiçoando até a sua quinta geração;
d) todas as opções acima.
Pensou letra d? Acertou. Ressaltando que tudo poderá acontecer, mas não necessariamente nesta ordem. E não espere que após a briga haverá um séquiçozinho para fazer as pazes. Elas costumam se vingar e só voltar à ativa após a menstruação, então, meu caro, prepare-se para longas 02 semanas sem telecoteco…

***

Achou difícil seguir estes conselhos? Não se engane, é quase humanamente impossível! Já ouvi relatos de maridos que saem de casa com os filhos para bem longe da mulher durante os famigerados dias. Não sei se esta é a solução ideal, mesmo porque existem técnicas modernas para se tratar a TPM, embora eu não creia que haja uma cura verdadeira para este mal – pelo menos não por enquanto.

O ideal mesmo é dar muito amor e carinho para a razão do seu viver durante o restante do mês, e quem sabe sugerir um tratamentozinho leve à base de fluoxetina ou anticoncepcional de ultima geração (obviamente evitando os dias de fúria para fazer esta sugestão)!

Imagem que retrata Dr. Jekyll e Mr. Hide, retirada deste site. Agora imaginem isso em versão feminina, elevado à potência N!

Texto por: Ana.

Paixões cinematográficas

Padrão
Isso sempre acontece comigo: eu me apaixono por personagens! Seja em filmes ou em livros, vira e mexe eu me vejo suspirando pelos “mocinhos” da ficção. Em filmes, com a ajuda dos atores, fica muito mais fácil me apaixonar, claro, e eu costumo usar como desculpa a qualidade dos filmes para me deliciar vendo e revendo as aventuras (e desventuras) dos meus queridos:

Dickie Greenleaf

Ele ama jazz, toca saxofone, tem um barco e uma casa na praia. Tem muitos amigos, vida social movimentada, estilo para se vestir, o bom gosto e a desprecupação daqueles privilegiados que sabem desfrutar o que a vida tem de melhor. Como bem definiu uma personagem de O Talentoso Ripley, “quando Dickie olha para você, o céu se ilumina, tudo fica maravilhoso”. Tirando a parte de que não faz nada da vida e vive às custas do papai, Dickie, encarnado por Jude Law, me conquistou sem um mínimo de esforço. Basta ouvir os acordes de “Tu vuò fa l´americano” para eu me derreter, e olha que essa paixão já tem lá os seus dez anos…

Rhett Butler

Inteligente, sarcástico, perspicaz, debochado, personalidade é o que não falta ao herói de E o vento levou, interpretado magistralmente pelo saudoso Clark Gable (e o bigodinho dele é um charme, não é?). Mas ele não me engana: a sua vontade de escandalizar a sociedade dizendo tudo o que passa pela sua cabeça e rejeitar todas as imposições da moral e dos bons costumes não passa de uma profunda carência de amor feminino. Nada que não se resolva com um bom cafuné. Decididamente, não há mulher mais burra que aquela Scarlett O´Hara!

Átila

Eu sei muito bem que o verdadeiro Átila era um baixinho invocado. Ainda dizem as más línguas, ou melhor, as fontes históricas, que o Rei dos Hunos não atingia o metro e meio. Mas o Atila vivido pelo Gerald Butler é bem diferente, e põe diferente nisso! Másculo, olhos azuis, cabelos longos, olhos azuis, corajoso, olhos azuis, e ainda por cima dedicado à mulher que ama. Precisa de mais alguma coisa?


Buddy Threadgood

Interpretado pelo fofinho Chris O´Donnell, Buddy aparece no máximo uns cinco minutos em Tomates Verdes Fritos, mas foi o suficiente para eu sucumbir ao seu sorriso com covinhas, à sua simpatia e ao seu jeito brincalhão. Nem vou falar muito dele, pois isso me deixa triste, muito triste. Quem viu o filme sabe o porquê.
Willoughby

Apesar de se revelar um mau-caráter no decorrer de Razão e Sensibilidade, não há como resistir à sua primeira aparição no filme, montado em um cavalo branco, no meio de uma tempestade. Seu porte elegante aliado às maneiras de gentleman, como trazer flores e carregar no colo donzelas machucadas, contribuem consideravelmente para o aumentar seu sex-appeal. Sem contar que ele leva uma edição dos sonetos do Shakespeare no bolso e os recita de cor! Mas, como eu já disse, ele não é flor que se cheire. Uma pena!

Aladim

A Disney acertou em cheio ao criar o simpático “protagonista” do desenho Aladim! O hilário gênio dublado por Robin Williams até tentou, mas não conseguiu roubar a cena do herói deliciosamente trambiqueiro. A paixão era tão forte que eu chegava ao cúmulo de pausar a imagem do Aladim na TV, pregar uma folha em branco na tela e desenhar o contorno do rosto para colar na parede do quarto, acreditam? Mas podem me dar um desconto, pois eu tinha “apenas” uns treze anos.

Decididamente, há coisas que nem Freud explica…

Texto por: BELA