CONFLITOS ARMADOS – vol. I

Padrão
Patroas x Domésticas

Minha blusa de liganete preta, novinha, que eu nem terminei de pagar ainda e só usei uma vez, está estragada, queimada de ferro de passar roupa, com fios puxados e esgarçada em algumas partes. Preciso dizer mais? No further comments.

Homens x Mulheres

Cueca. Calcinha, calcinha de renda, de algodão, de lycra, de cotton, calcinha de lacinho, calçola, fio-dental.

Meia. Meia-calça, meia soquete, meia de ginástica, meia de ballet, meia 7/8, meia fina, meia grossa, meia com bumbum, meia sem a ponteira, meia que emagrece, meia que tira celulite, meia que comprime a barriga, meias Kendall.
Calça comprida. Calça jeans, calça cigarrete, calça social, calça corsário, calça preta, calça de ginástica, calça bailarina, calça pantalona, calça boca-de-sino, calça pescador.
Pente. Escova de pentear, escova de escovar, secador de cabelos, chapinha, pente de madeira, pente-fino.
Sunga. Biquíni, maiô, bolsa de praia, protetor solar, canga, cadeira, guarda-sol, óculos escuro, creme para pentear os cabelos, toalha, saída de praia.
Tênis. Scarpin, salto-agulha, plataforma, sandália de dedo, channel, bota de cano alto, bota de cabo baixo, bota peter-pan, sapato bonequinha, sapatilha, anabela.
Carteira. Bolsa, espelho, caneta, bloquinho de papel, telefone celular, carregador, batom, gloss, corretivo, blush, rímel, lápis de olho, o.b., modess, escova, pente, óculos, óculos escuros, desodorante, neosaldina.
Ponto final. Et cetera.
Desejo x Ideal x Realidade
O desejo é o inimigo da realidade. Porque eu digo isso? Ora, pois quando desejamos algo, criamos em nossa mente um ideal de situação, tentamos planejar tudo para alcançarmos este ideal. No entanto nos esquecemos que, por ser IDEAL, nunca se tornará realidade, já que se situa no plano das idéias, e o que está na mente, não está na realidade.

A situação ideal, a circunstância ideal, utópica, nunca existirá. E sempre colocamos e criamos situações por trás de circunstâncias, e vice-versa, como se nós mesmos impuséssemos obstáculos instransponíveis para o alcance daquele desejo. Aí é que eu pergunto: será que realmente desejamos aquilo que pensamos desejar? Se ao criarmos estas barreiras esperando que o ideal ocorra – e este, por ser utópico, nunca se realizará – significa que não obteremos o que desejamos, e, sabendo disso, é possível concluir que, na verdade, não o desejamos tanto assim… Pois, se realmente quiséssemos com todas as nossas forças, não nos boicotaríamos tanto, impondo tantas dificuldades para nós mesmos e para os outros.

(To be continued… or not.)

Texto, foto e viagem na maionese por: Ana.

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s