Como sobreviver a uma partida de futebol

Padrão

Para celebrar essa festa nacional que é a Copa do Mundo, resolvemos comemorar o evento transformando o blog, durante esse mês, em um reduto do futebol. Planejamos template com fotos temáticas, espaço reservado aos comentários em verde-amarelo (tudo isso graças à Aninha), e, claro, textos sobre futebol.

Esse último, no entanto, vai me dar um trabalho danado!

Confesso: até o início deste ano, não tinha nem pisado em um estádio de futebol! Pensando bem, já tinha ido ao show do Menudo no Mineirão, mas acho que isso não conta.

Não torço para time nenhum, e, para falar a verdade, vi pouquíssimas partidas do início ao fim. Então, a única coisa que posso falar sobre futebol é a propósito da minha notória ignorância quando se trata do esporte nacional.

Apesar de não poder dizer “gostar” de futebol, também não tenho nada contra, e por isso mesmo não me nego a assistir alguns jogos com meu namorado, e até já fui prestigiar algumas “peladas” dele aos sábados (vai me dizer que isso não é uma bela prova de amor?).

Assim, para a alegria das pessoas que fazem parte do mesmo time que eu (ignorantes em futebol), eu garanto, dá para se divertir bastante em uma partida, sobretudo se for ao vivo.

Eis algumas dicas para curtir o jogo no campo sem irritar quem está do seu lado:

*80% dos freqüentadores são do sexo masculino, por isso não abuse das roupas justas, decotadas, curtas. Alías, quanto menos coisas à vista, melhor.

* Se visualizar um tumulto ou grande ajuntamento de pessoas meio desesperadas, não precisa se assustar e sair correndo para se proteger: pode ser apenas uma mulher passando (já foi explicado que 80% dos presentes é homem, o que a gente pode esperar deles?).

*Evite ir ao banheiro. Por precaução, se for estritamente necessário ir ao “toilette” leve um lencinho de papel no bolso.

*Não leve bolsa, apenas um documento de identidade (você não quer ir para no meio dos indigentes se acontecer alguma catástofre não é?) e alguns trocados (para se precaver de uma remota mas não tão descartada idéia de tomar uma cervejinha quente).

*Sim, a pessoa estranha sentada ao seu lado pode te abraçar sem cerimônias na hora de um gol. Então, tome a precaução de se sentar intercalada entre dois amigos.

*Não fique perguntando no meio do jogo: “o que aconteceu?”O que quer dizer aquele cartão amarelo?” “O que aquele cara com as bandeirinhas coloridas está fazendo?” “Foi gol contra?” Guarde suas dúvidas para antes do jogo ou para a hora do intervalo.

*Quando acontecer um gol, trate de se manter protegida. Cubra o rosto para evitar receber possíveis tapas e socos involuntários, sobretudo se você usa óculos. Alías, se tiver a opção “lentes de contato” em casa, melhor ainda para esta ocasião especial.

*Prepare-se para ouvir palavrão sem se horrorizar. Vai ser “filho de %&*@” de um lado e “vai &%$@#” de outro. Pois é, não dá pra ser pudica o tempo todo!

*Aprenda de uma vez por todas: no futebol, não tem treinador, tem técnico.

*Não implique com a cerveja quente, o churrasquinho de gato, o inconveniente que teima em comer o tropeirão do seu lado derrubando feijão na lateral da sua cadeira e com os vendedores de chips que entram na sua frente durante o jogo. Tudo isso faz parte do “clima”. Inclusive, é bom lembrar que em estádio de futebol não tem refrigerante diet, nem água mineral com guás, pois são considerados produtos para frescos, completamente alheios ao universo futebolístico.

*Tudo bem não usar camisa do time, mas também não cometa a gafe de ir vestida com a cor da torcida oposta!

Mas, um aviso para os meninos: não fiquem achando que mulher não gosta e não entende nada de futebol! Posso citar algumas amigas da minha convivência íntima que entendem e gostam mais do que muitos marmanjos por aí…Hoje em dia, acredito piamente que a minha ignorância sobre o esporte nacional seja exceção!

Mas que deu pra curtir o jogo, isso deu…

Bela

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s