Padrão

NO DIA EM QUE EU SAÍ DE CASA
Zezé Di Camargo e Luciano

Composição: Joel Marques

No dia em que eu saí de casa minha mãe me disse filho vem cá
Passou a mão em meus cabelos, olhou em meus olhos começou falar
Por onde você for eu sigo com meu pensamento sempre onde estiver
Em minhas orações eu vou pedir a Deus
Que ilumine os passos seus,
Eu sei que ela nunca compreendeu
Os meus motivos de sair de lá
Mas ela sabe que depois que cresce
O filho vira passarinho e quer voar
Eu bem queria continuar ali
Mas o destino quis me contrariar
E o olhar de minha mãe na porta
Eu deixei chorando a me abençoar
A minha mãe naquele dia me falou do mundo como ele é
Parece que ela conhecia cada pedra que eu iria por o pé
E sempre ao lado do meu pai da pequena cidade ela jamais saiu
Ela me disse assim, meu filho vá com Deus
Que este mundo inteiro é seu

Eu sei que ela nunca compreendeu
Os meus motivos de sair de lá
Mas ela sabe que depois que cresce
O filho vira passarinho e quer voar
Eu bem queria continuar ali
Mas o destino quis me contrariar
E o olhar de minha mãe na porta
Eu deixei chorando a me abençoar (3x)

Adoro esta música, mais pela letra e menos pela melodia. Ela reflete o que vejo hoje em minha casa, dois irmãos viajando a trabalho, para ganhar a vida, para conquistar o mundo. Sair de casa, da barra da saia da mãe para crescer e vencer.
Tenho certeza que para o futuro ser melhor, o sacrifício de agora é necessário, mas o coração sente saudade… bate forte e fraco, uma lágrima tende a cair porque é a hora da despedida. Uma semana, quinze dias, um mês ou mais para o retorno da família toda. A gente acostuma, mas a saudade bate…

E se bate forte em meu coração de irmã, imagina no coração de meus pais, e principalmente da minha mãe.

É por estes e outros motivos que essa semana, mais do que nunca, quero homenagear as MARAVILHOSAS MÃES!!!
Mãe que é carinho e doação, amor incondicional, fé em Deus e na vida, coração aberto e disposto a tudo por seus filhos…
Ninguém sabe o que passa em seu coração que aguenta tudo, que é forte e resistente. Muda de opiniões, amadurece, compreende, moderniza com o filho, não magoa, ama!
Amo a minha mãe e agradeço sempre a Deus por ser filha desta mulher batalhadora, ativa, carinhosa, de opinião concreta e amor incondicional. Um exemplo, uma mulher!

Um beijo no coração de todas as mães e especialmente à minha, beijo mamãe!

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s