Quem entende os homens?

Padrão
Gente,

Tenho lido um blog novo, muito divertido, o TPM – ‘Tensão Pós-Matrimônio”. Só pelo nome dá para vocês terem uma noção do que rola por lá, e, acreditem, rola de tuuuuuudo!
Então, esta semana o AMOR está por aqui em BH. Sim, ele não mora aqui, acho que já mencionei por aqui que ele está trabalhando e morando em Macaé-RJ há uns 2 anos, apesar de ser daqui de minas mesmo.
Pois então, em 04 anos e 04 meses de namoro (completados ontem), 2 anos o bendito longe de mim, só nos vemos de 15 em 15 dias, praticamente, nos finais de semana. FINALMENTE o AMOR tirou férias – pequenas, 10 dias só, diga-se de passagem – mas já valeu um bom e merecido descanso (há quase 05 anos ele não saía de férias).
O seguinte diálogo se sucedeu ontem ao comprarmos apetrechos para um fondue que iria rolar mais tarde na casa de um casal amigo nosso:
Eu: – Vamos no setor de padaria daqui do Carrefour prá comprarmos um pãozinho diferente pro nosso fondue de queijo!
AMOR: – Não, vamos passar na Boníssima mais tarde, na hora que a gente sair de casa prá ir pro fondue.
EU: – Ah não, prá quê, já estamos aqui mesmo, anda, vamos lá.
AMOR: (suspirou, dando-se por vencido)
Ao chegarmos no setor de padaria, tive uma decepção, pois dessa vez não tinha quase nenhum pão diferente, só baguetes mesmo (que são horríveis prá picar pro fondue), e uns pães doces.
Eu: – Ah, não vamos comprar pão aqui não, Amor, não tem nenhum pão mais interessante que este (segurando uma ciabata recheada de ‘não-sei-o-quê’]”), e ainda por cima tá R$ 8,90 o kg. Vamos comprar na Boníssima mesmo!!!
AMOR: (já vermelho e falando alto) – Não, na Boníssima é muito caro, não quero gastar muito e a gente já está aqui, agora vai comprar este pão sim!
Tentei aurgumentar, que ele mesmo tinha sugerido a boníssima, mesmo porque o pão ficaria mais fresco, etc, mas não teve jeito. Acatei a sentença do “Exmo. Sr. Dr. Engenheiro Químico” meio que a contragosto, larguei o pão recheado de “não-sei-o-que-lá-das-quantas” no nosso carrinho e saí em direção ao caixa.
Ahhhhh, prá quê!??? Ele ficou p! Me chamou de grossa e tudo mais, foi horrível, no meio do Carrefour. Até dou razão a ele, sabe, pois eu fui meio impaciente mesmo, admito. Mas a idéia não tinha sido dele de comprar o pão em outro lugar, mais especializado? E o preço era praticamente o mesmo, não haveria este problema! Tem dias que eu simplesmente não consigo entender este meu homem…
Mas como ontem foi nosso “aniversário”, saímos numa boa do BH Shopping e fomos ao show da banda dos meus irmãos, “Chapéu Panamá” que toca sambinha. Curtimos bastante Lupcínio Rodrigues, Bezerra da Silva, Jorge Aragão, etc, e de lá, fomos para o fondue.
Nossa noite foi muito agradável, a comida estava ótima. O casal que nos recebeu fez fondue de carne, delicioso! A carne não era frita no aparelho de fondue, como é o mais comum, mas sim cozida no vinho tinto seco com cebola e outros temperos, ervas, etc… Simplesmente maravilhoso! Eu fiz o de queijo e o de chocolate.
O de queijo geralmente eu faço a receita tradicional, com três tipos de queijo mais o vinho branco seco. Só que desta vez eu não estava nem com tempo nem com paciência de ficar rodando o imenso supermercado atrás de 3 tipos de queijos, então comprei aquela mistura pronta mesmo. Ficou até bonzinho, mas a tradicional é sem comparação!
Já o de chocolate, eu faço assim:
– 300 g de chocolate meio amargo picado;
– 1 lata de creme de leite;
– 1 cálice de conhaque ou outra bebida forte .
É só misturar tudo no fogo e servir com morangos, damascos secos, uvas, etc, etc…. ô delícia!
Ficaram com água na boca?

ehehehehe A idéia é essa!

Beijos

Ana Letícia

Ps.: Dica do final de semana, prá quem ainda não assistiu, nem no cinema: “Diários de Motocicleta”. Este é imperdível! E “Lutero”, muiiiito bom também, me fez pensar prá caramba…

30/04/2005 – Eu e o Amor, no fondue na casa de Fernanda e Fabrício

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s