HQEH (homem que é homem)!

Padrão
Não pude deixar de postar esse texto do Luiz Fernando Veríssimo. Acho que ele escreve muito bem e com um humor perfeito. Quêqueisso, o cara é doidão demais, véio!!! Acho que HQEH, não deveria ficar falando esse troço de véio o tempo todo, é um saco! Divirtam-se:

“Este país foi feito por Homens que eram Homens. Os desbravadores do nosso interior bravio não tinham nem jeans, quanto mais do Pierre Cardin. O que seria deste pais se Dom Pedro I tivesse se atrasado no dia 7 em algum cabeleireiro, fazendo massagem facial e cortando o cabelo à navalha? E se tivesse gritado, em vez de “Independência ou Morte”, “Independência ou Alternativa Viável, Levando em Consideração Todas as Variáveis!”? Você pode imaginar o Rui Barbosa de sunga de crochê? O José do Patrocínio de colant? 0 Tiradentes de kaftan e brinco numa orelha só? Homens que eram Homens eram os bandeirantes. Como se sabe, antes de partir numa expedição, os bandeirantes subiam num morro em São Paulo e abriam a braguilha. Esperavam até ter uma ereção e depois seguiam na direção que o pau apontasse. Profissão para um HQEH é motorista de caminhão. Daqueles que, depois de comer um mocotó com duas Malzibier, dormem na estrada e, se sentem falta de mulher, ligam o motor e trepam com o radiador. No futebol HQEH é beque central, cabeça-de-área ou centroavante. Meio-de-campo é coisa de veado. Mulher do amigo de Homem que é Homem é homem. HQEH não tem amizade colorida, que é a sacanagem por outros meios. HQEH não tem um relacionamento adulto, de confiança mútua, cada um respeitando a liberdade do outro, numa transa, assim, extraconjugal mas assumida, entende? Que isso é papo de mulher pra dar pra todo mundo. HQEH acha que movimento gay é coisa de veado.

HQEH nunca vai a vernissage.
HQEH não está lendo a Marguerite Yourcenar, não leu a Marguerite Yourcenar e não vai ler a Marguerite Yourcenar.
HQEH diz que não tem preconceito, mas que se um dia estivesse numa mesma sala com todas as cantoras da MPB, não desencostaria da parede.
Coisas que você jamais encontrará em um HQEH: batom neutro para lábios ressequidos, pastilhas para refrescar o hálito, o telefone do Gabeira, entradas para um espetáculo de mímica.
Coisas que você jamais deve dizer a um HQEH: “Ton sur ton”, “Vamos ao balé?”, “Prove estas cebolinhas”.
Coisas que você jamais vai ouvir um HQEH dizer: “Assumir”, “Amei”, “Minha porção mulher”, “Acho que o bordeau fica melhor no sofá e a ráfia em cima do puf”.
Não convide para a mesma mesa: um HQEH e o Silvinho.HQEH acha que ainda há tempo de salvar o Brasil e já conseguiu a adesão de todos os Homens que são Homens que restam no país para uma campanha de regeneração do macho brasileiro.Os quatro só não têm se reunido muito seguidamente porque pode parecer coisa de veado.”

(Texto extraído do livro “As mentiras que os homens contam” de Luis Fernando Veríssimo, Editora Objetiva – Rio de Janeiro, 2000, pág. 89.)

É, acho que o homem que é homem deu pála, pirou… Isso não significa que ele não seja hqeh. Isso significa que ele deparou-se com uma porrada de opções e misturou tudo. Tem uns, que a gente acha que são, mas, felizmente não são, outros, a gente tem certeza que não são, e debaixo daquele cuecão… não precisa nem comentar, e aqueles, considerados normais, que são os mais anormais do mundo (experiência própria!). Penso que o mundo mudou, a sociedade mudou, as mulheres mudaram, o Sadan mudou e os homens, então, puta que pariu, isso é que é mudança radical (desculpe crianças, não resisti). Toda regra tem a sua exceção. Tem muito homem bom nesse mundo, homem que é viado, homem que gosta é de mulher mesmo, homem que é cafajeste, pilantra, sem vergonha, ordinário, mentiroso, sensível (gay), bom na cama, péssimo na cama (segundo relatos)… amável, sensível (não, gay), educado, sincero, bonzinho. Ah, de tudo quanto é jeito… Homem veado, homem macaco, homem cachorro, homem aranha, até homem sapo…hahahaha…

Mas, cá pra nós mulherada, êta bicho que faz falta… Ô trem bão sô!!!

HQEH respeita, ama, chora, tem momentos de boiolice, faz tudo que venha do coração. Às vezes não…

Espero que vocês, HQSH, sejam bonzinhos, conosco, mulheres que somos mulheres… Ok!!!

Bjos da Dodô!

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s