Ir

Padrão

A #serra de #petropolis é #azul! #rj

Minha vida é um rio
Que corre e não se vê
Invisível aos ouvidos e aos que sentem
É um descontentamento de repente
Com a dor que desatina a doer

Minha vida vai,
Sem dó
Nem piedade
Com a luz do dia e da Lua
a iluminar meus pensamentos
E se eu não quiser
Mais que bem quiser
Se deixar ferir o que já foi ferido
(Ferida aberta não cicatriza mais)
Vou guardar aqueles escritos que um dia não publiquei
Vou esconder as palavras que um dia engoli.

E se meu rio corre como o Sol
Hei de crescer no leste
Hei de morrer no oeste de todo dia
E envelhecer naufragada no meu mar particular.

Ou é a pia que pinga
Ou a marvada (pinga) que vaza
Pelos meus poros
Sonoros
Pesares.

Ana.

(Texto e foto: Ana Letícia.)

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

Uma resposta »

  1. Estava comentando ontem com minha esposa que a essência do ser humano, infelizmente, parece que tem muito da fluidez da água, que procura o caminho mais rápido e fácil para seguir em frente, mesmo sem saber onde deseja chegar, muitas vezes causando devastação. Basta estar em movimento…
    Outro aspecto que tem me desagradado em muitas pessoas é que, assim como a água, a tendência de muitos é direcionar-se para baixo, pela óbvia facilidade e pressão da gravidade (palavra que pode definir uma lei física, uma tendência social ou interpretação pessoal). Felizmente há aqueles que se bombeiam para cima, lutando contra o mais fácil e óbvio, refrescando e nutrindo um pouco aqueles que estão à sua volta.
    Com o passar do tempo, mais nítida fica para a mim a necessidade de que, além de plantar boas sementes, para se chegar a bons frutos é preciso dispensar muito tempo e constância aguando e podando.

    Esses pensamentos fluíram (indo) juntamente com a leitura do seu rio. Se não soubermos para onde correm nossas águas, que sirvam para diminuir a aridez daqueles que estão pelo caminho…

    Bonito e sincero o seu Ir.

    Curtir

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s