Estranhices e Mesmices

Padrão
Os Máskaras
Como se já não bastasse o fato de serem 22 jogadores em campo para apenas 01 bola, somente 2 deles poderem usar as mãos durante o jogo, na maioria das vezes somente ocorrer 01 gol por partida, os estádios ficarem sempre lotados por fanáticos de todos os tipos e classes, fantasiados ou não, e ainda por cima, a gente ter que torcer para multimilhonários que aos vinte e poucos anos já ganharam mais dinheiro que você jamais verá numa vida inteira de trabalho árduo… Há mais coisas estranhas no futebol do que sequer imagina a nossa vã filosofia…

A fim de que este papo não dure muito, falemos então sobre o vocabulário futebolístico. Você, cara leitora, que nunca entende o que os narradores falam, todos aqueles termos e expressões estranhas, jargões repetidos a cada jogo, a cada entrevista… Aproveite para ler aqui tudo aquilo que você nunca entendeu no vocabulário do futebol e nunca teve coragem de perguntar:

* “É lá que a coruja dorme!” – O mesmo que “No ângulo!”, ou seja, a bola segue seu curso e entra para o gol bem rente à trave, no canto superior do gol. Imagine onde dorme uma corujinha? No cantinho (= ângulo) de um galho (=trave).
* “No pau!” – Ocorre quando o jogador chuta a bola em direção ao gol, mas acerta a mira bem naquele lugar… Na trave do gol, oras! O mesmo que “Na trave!”.
* “1º pau” – A primeira trave do gol que se vê da cobrança de escanteio, aquela que está mais próxima do jogador que faz a cobraça do corner.
* “2º pau” – A segunda trave do gol que se vê da cobrança de escanteio, aquela que está mais longe do jogador que faz a cobraça do corner, ou seja, depois do primeiro pau e do goleiro, que normalmente posiciona-se entre as duas traves.
* “Na banheira” – A banheira fica dentro da grande área, em frente ao gol. É também conhecida como “pequena área”. Por estar muito próxima do gol, quando um jogador se encontra com a bola nos pés dentro da banheira, é muito difícil que o mesmo erre o gol. Eu disse muito difícil, no entanto, é plenamente possível.
* “Toque de trivela” – Quando o jogador toca na bola para fazer um passe ou chute ao gol, e para isso utiliza 3 dedos do pé, suas “três velas” (= trivela). Isso faz com que a trajetória da bola ganhe mais efeito.
* “Gol de placa” – Esta expressão é tão comum, está até em letra de música. Mas o “gol de placa” não é uma forma de fazer gol, como o “gol de bicicleta”, como pode parecer. O “gol de placa” é um gol tão bonito, tão histórico – pode inclusive até ter sido feito “de bicicleta” – que pode até ganhar uma PLACA no estádio em que ele se realizou!
* “Futebol é uma caixinha de surpresas” – Acho que não há um jogo sequer que não se escute pelo menos 01 vez esta frase. No entanto, não merece maiores delongas, pois é auto-explicativa.
* “Penalidade máxima” – Quando o juiz marca o famoso, querido por uns, odiado por outros, Pênalti.
* “Chapelou o goleiro” – O jogador atacante chuta a bola por cima do goleiro (ou outro jogador) adversário, e a busca do outro lado, uma bonita jogada que, infelizmente, é tão rara, já que a violência impera no futebol da atualidade…
* “Drible da vaca” – Mais uma jogada bonita, que não é qualquer jogador que consegue fazer, já que exige precisão de movimentos, arrancada em velocidade e um toque de sorte. O jogador atacante chuta a bola para um lado, e corre para o outro, dando a volta pelo jogador adversário, e correndo para buscar a bola do outro lado. É como se ele desse um passe para si mesmo.
* “A bola é redonda.” – Outra frase clássica, porém sábia. Se pensarmos bem, é claro que a bola é redonda, no entanto, o próprio fato de ela ser esférica, faz com que não tenha nem norte, nem sul, nem leste, nem oeste. Isto significa que não se pode prever o resultado de um jogo, não existe favoritismo no futebol. Ganha o jogo quem joga melhor e pronto.
* “O jogo dura 90 minutos.” – Óbvio, não? Nem tanto. Chama a atenção para o fato de que não ganha o jogo o time que joga bem 20 minutos, ou apenas um tempo de 45 min. O jogo é composto por 02 tempos de 45 min cada, e é preciso lutar durante os 90 minutos em campo para segurar um resultado, virar o jogo, ou ganhar uma partida.
* “Olé!” – A torcida grita “Olé” exaltando os movimentos dos jogadores em campo, como se estivessem humilhando o adversário, dando “olé”, sendo infinitamente melhores. Derivou-se das Touradas espanholas, quando os espectadores gritavam “Olé!” sempre que o toureiro driblava o touro.
* “Ôôôôôôlaaaaa!” – Significa “onda” em espanhol, é a festa da torcida, que enfeita o estádio e se anima, formando um verdadeiro mar humano de paixão, sofrimento e exaltação ao futebol…

E por falar nela… Olha a Ôla aí!

Olha a Ôla aê!

Olééééé! pois foi o que fez o time da Argentina hoje,
ao ganhar de 6 a 0 da Sérvia e Montenegro…

E que venha a Austrália, domingo 13 horas!

Beijos,

Ana.

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s