Presentes

Padrão

A Lu já tinha falado sobre isto antes… Mas é que este Natal ganhei uns presentes muito legais… É claro que o verdadeiro sentido do Natal não se resume em ganhar e dar presentes… Meu pai falou muito bem sobre o sentido do Natal, no Pras Cabeças
Mas este ano ganhei um presentinho que, em sua simplicidade, me fez muito mais alegre… A Bela, amiga de muitos anos, desde a época do colégio e faculdade (e leitora assídua do “Mineiras, Uai!”), gravou pra mim um CD com as músicas que, segundo ela, foram “As Melhores de 2005”! O mais legal, foi que ela gravou também para outros amigos, mas cada CD era diferente um do outro, personalizado…
Isto sem contar no divertidíssimo texto, “O Porquê das Melhores”, que ela me mandou (detalhe: antes de me entregar o CD) com suas divagações acerca das músicas…
Taí, adorei as canções que ela gravou, muitas das quais eu nunca havia escutado antes…
Sendo assim, publico aqui, com o consentimento da autora, trechos do texto, para que vocês mooooorrammmm de inveja… E se quiserem ouvir as músicas, I’m sorry… terão que pegar na net! 😉

“O Porquê das Melhores de 2005”


Heartbeat – Annie

Essa é a música que mais me agradou no novo CD da loura norueguesa. Confesso que fiquei na dúvida entre Chewing Gum e esta pra gravar pra você, mas a letra de Heartbeat me agrada bem mais: nostalgia na medida certa. Se gostar, confira mais músicas no site da cantora, é só entrar que o site é sonoro e te dá de brinde todas as faixas do CD Anniemal: http://www.anniemusic.co.uk/

I’d rather dance with you – Kings of Convenience

Não dá pra gastar apenas um parágrafo pra falar da genial-magnífica-fantástica dupla norueguesa Kings of Convenience! Se você não conhece, shame on you! Vá direto pro site oficial www.kingsofconvenience.com e não perca mais tempo. Te garanto que a vida vai ter muito mais graça com os Kings como trilha sonora!

Por incrível que pareça, não hesitei na hora de escolher uma única música deles para colocar no CD. Sem dúvida I´d Rather dance with you é uma das músicas mais bacanas que eu já ouvi, simplesmente pelo fato de que ela é uma música que qualquer um podia ter escrito (Porquê não tive a idéia antes dos caras? Droga.). A melodia é primitiva, a letra, banal e divertida. O resultado, sensacional. Se agradar, procure o clip da música que também é diversão na certa: o mais desengonçado e nerd da dupla, Erlend, ensina lindas menininhas (não se empolgue, são menininhas mesmo, de sete ou oito aninhos) a dançar ballet (avacalhado, óbvio) e ainda conta com a participação da professora de Ballet do filme Billy Elliot (se você não viu esse filme, não é mais meu amigo). Ah, e a parte em que ele diz “I´ll make you laugh by acting like the guy who sings”? É hilário. Bom, já falei demais, mas é difícil não se empolgar com os Kings.

Neighborhood #2 (Laika) – Arcade Fire

A melhor dos canadenses (quer saber mais? Calma que eu te falo onde: www.arcadefire.com). Curioso, a primeira vez que ouvi essa música, eu odiei, achei desarmoniosa, para não dizer cacofônica. Aos poucos, passei a gostar da música, e muito. De duas uma: ou me acostumei com o som, ou este CD não passa de um plano maligno da Duralex para quebrar toda a louça da sua mãe…

The chapter in your life untitled San Francisco – The Lucksmiths

Ufa! Consegue repetir três vezes seguidas o nome da música? O Tali White consegue, e cantando. Vá lá treinar, depois me conta se deu certo. Confira a biografia e discografia do trio australiano em http://music.yahoo.com/ar-304266-bio–The-Lucksmiths.

Lover’s Spit – Feist

Se eu fosse um animal, eu gostaria de ser um gato. Se eu fosse uma planta, uma rosa bem espinhenta. Se eu fosse uma comida, um bombom de cereja. Agora, se eu fosse uma voz, não teria dúvidas em escolher ser a da Leslie Feist! A canadense é, sem dúvida, o melhor achado de 2005, com o lançamento do seu novo CD, Let it Die. Feist é bem eclética, e foi um trabalho árduo escolher apenas uma música para representá-la nesse CD. Espero que goste e procure conhecer mais dessa moça tão especial! E não é que a danada ainda é linda de morrer? Veja fotos, letras e discografia completa no site http://www.alwaysontherun.net/feist.htm. Detalhe interessante: ela já fez participações em músicas com os Kings of Convenience e já fez parte do Broken Social Scene, que você vai conhecer logo logo.

Love and Destroy – Franz Ferdinand

Não é que a música dos escoceses colou no meu cérebro feito piche fresco na cola do sapato? E olha que eu nem gosto de Marguerita! Peraí, Marguerita tem tequila? De fato, tequila pode destruir muito amor por aí…E eu gosto de tequila sim…Mas isso não quer dizer que eu ande destruindo amores por aí! Falei demais, né?

Love is an arrow – Aberfeldy

O quinteto escocês agrada a gregos e troianos com a esta música simples e gostosa de ouvir. A letra é um pouco babaca, principalmente na parte em que explica que a palavra Love é encontrada no dicionário na letra L. É muita informação, mas vamos dar um desconto, enfim, é Natal.

Spooky – Nigthmares on wax

Quando ouvi essa música pela primeira vez, não agüentei e fui interromper o DJ pra perguntar o que ele estava tocando (Blackmail). Foi meio chato, porque como o som estava muito alto, eu não ouvia nada do que ele dizia e fiz o coitado escrever pra mim no celular o nome da música e quem tocava. Acho que ele não gostou muito da minha insistência. Enfim, me encantei com o grupo inglês, sobretudo com o CD Late Night Tales, do qual foi tirada a regravação desse hit dos anos sessenta, Spooky, na voz da Dusty Springfield.

Cause = Time – Broken Social Scene

Já falei bastante da Banda ali em cima, deixa de preguiça e leia de novo, pô!

Angeles – Elliott Smith

Esse é o trintão que conquistou meu coração à primeira nota! Foi embora em 2003 aos 34 anos, mas nos deixou um patrimônio de lindas canções…Incluindo esta, que faz parte da trilha sonora do filme Good Will Hunting e concorreu até a Oscar.

Irish blood english heart – Morrissey

Inesquecível o retorno de Morrissey com essa música! Mesmo com barriguinha, costeletas e topete à la Elvis, é indiscutível que ele arrasa! Fica a dica de assistir o tiozão no DVD You are the Quarry. Perfeito. E nem dá saudade dos Smiths, sabia…

Letter from an occupant – New Pornographers

Amei o nome da banda! Precisa mais? Isso porquê você não viu a capa do CD! Brincadeiras à parte, o grupo canadense tem talento e animação de sobra: não dá nem pra imaginar o que os cinco camaradas e aquela ruivinha são capazes de aprontar juntos! Humm, acho que dá pra imaginar sim, melhor não perguntar… Maiores detalhes em www.matadorrecords.com/the_new_pornographers.

Let go – Frou Frou

Dupla inglesa cujos membros Imogen Heap e Guy Sigsworth também seguem carreira solo. Esta música fez parte do filme americano Garden State. Não vi o filme, mas amo a música. Vale assim mesmo? Vale. Conhecer a discografia da Imogen Heap também (www.imogenheap.com). Já o mocinho eu não conheço. Mas por enquanto, contente-se com o Frou Frou mesmo(www.froufrou.net).

(Eu vi o trailler deste filme ontem, e hoje vou passar na locadora pra ver se tem lá… Parece ser muito bom, depois eu conto procês.)

Remember me – British Sea Power

Mais ingleses! E dos bons! Só tenho uma dúvida: o nome da banda remete a um imenso navio pirata, mas a imagem do site oficial da galerinha exibe uma ilustração que não tem nada a ver com isso: um veadinho saltitante sobre um fundo amarelo ovo. Alguém explica? Eu heim! Acho que nessa nem o Freud se arrisca! (www.britishseapower.co.uk)

Be kind & remind – Rogue Wave

Imagine uma praia bem calma, o barulho suave das ondas, a brisa do mar…e…ganhou de graça a trilha sonora pra combinar com tudo isso! Vem até o barulhinho das gaivotas! Que presente bom!

A nervous tic motion of the head to the left – Andrew Bird

Esse tal de Andrew Bird é um daqueles americanos doidos de jogar pedra em avião! Além do nome de passarinho, digamos que o moço nada mais é do que uma surpreendente combinação de compositor, violinista, guitarrista, vocalista e assobiador profissional (espero que isso não seja uma profissão regulamentada em lei). Alem disso, batizou o seu trabalho mais recente de “The Mysterious Production of Eggs”! E mais: a faixa principal desse CD tem como tema um estranho tique nervoso que atormenta um indivíduo pra lá de bizarro. Meu conselho é: aprecie com moderação o talento do rapaz, e, cuidado com o tique, porquê dizem que isso pega! Ah, e se alguém se animar e ouvir o CD inteiro, me diga se ele decifrou quem veio primeiro, o ovo ou a galinha!

Air – The Owls

Pra fechar com chave de ouro, a pérola dos Owls, doce e suave como o que desejo para você no ano novo que está chegando! E que Our Hopes and Dreams se realizem! (Esse é o nome do CD mais novo do Grupo.)


Sim, amiga Bela, que our hopes and dreams se tornem realidade!

Feliz 2006 para todos nós!

Beijos a todos,

Ana Letícia

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s