Indignação (Desabafo)

Padrão

Eu fiquei indignada! E não é música do Skank que estou colocando aqui não! Realmente fiquei indignada, chocada, arrasada, pra não dizer triste, frustrada, acabada, o lixo dos lixos. Vou explicar.

Semana passada no Praetorium tive aula de Direito Coletivo do Trabalho, matéria ministrada pela profa. Ellen Hazan. Ela advoga na área de Direito Coletivo há muitos anos, tem experiência como examinadora em concursos, já fez várias provas, etc. E foi assim que ela começou, falando da evolução do Direito Coletivo no Brasil e no mundo, seu surgimento e enfraquecimento, e aí o bicho pegou. Ela falou algo que não sai da minha cabeça desde então, e que foi uma luz no fim do túnel, apesar de lançar mais trevas para o futuro de nosso país (ou não).

Eu sempre me perguntei (e discuti com outras pessoas também) o porquê de todos estarmos na situação em que nos encontramos… Quer dizer, todos não, excluindo os donos de indústrias, banqueiros e demais capitalistas. Por que os pobres ficam cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos? Por que os juros no Brasil não diminuem, os salários não aumentam, nosso padrão de vida só diminui, os empregos são tão escassos?

Qualquer um poderia responder: “Oras, porque o Brasil está em crise”… “A economia está em crise”, etc e etc. Só que eu nunca me contentei com tais explicações simplistas e imediatistas, e sempre quis saber o porquê de nós no Brasil sermos pobres, apesar de haver tanta riqueza neste país… O porquê de no país do samba e do futebol as pessoas não terem garantia à saúde, ao emprego, às necessidades básicas que os seres humanos possuem nos países ditos “centrais”. Enfim, porque somos eterna colônia???

Sabem qual é a RESPOSTA (e foi com a aula desta professora que eu fui informada)??? Porque assim querem nossos governantes!!! Calma, calma, deixa eu terminar. No Brasil tem desemprego DE PROPÓSITO! No Brasil, tem “emprego informal” (que não passa de relação de trabalho normal, como qualquer outra, só que as empresas não admitem e não pagam de jeito nenhum) DE PROPÓSITO! No Brasil, todo mundo ficou desempregado e teve que “se virar”, DE PROPÓSITO. Os juros são altos DE PROÓSITO, tem inflação DE PROPÓSITO, ou seja, tudo pelo que estamos passando há uns 20 anos está acontecendo por pura vontade dos NOSSOS governantes e seus mirabolantes acordos com o FMI.

Após a queda do muro de Berlim e do Socialismo (se é que aquilo que existia na ex-URSS podia ser chamado de socialismo, quando não passava de um horror de um “Stalinismo”, com política de intervenção estatal sem democracia), o Capitalismo precisava se firmar, e para isto houve uma quebra de paradigmas: da HORIZONTALIZAÇÃO para a VERTICALIZAÇÃO, do FORDISMO para o TOYOTISMO, da RIGIDEZ para a FLEXIBILIZAÇÃO, dos MERCADOS LOCAIS para a GLOBALIZAÇÃO… Para que tudo isto fosse possível, teve de ocorrer uma inversão de valores, e o enfraquecimento das bases do sistema produtivo em que se baseava o nosso país.

As relações de emprego deveriam ser enfraquecidas, para que pudesse haver a Flexibilização do emprego (TERCEIRIZAÇÃO), o Direito do Trabalho entrou em crise, e com ele, foi abaixo o poder dos Sindicatos. O nosso governo instaurou uma verdadeira “Política de Desemprego”, para diminuir o CONSUMO e fazer vingar o tal do Plano Real. Para conter a inflação, os juros têm que permanecer altos, e o consumo, baixo. Para isto ocorrer, só com programas de demissão em massa, não é mesmo? É só raciocinar para começar a enxergar isto! Com menos empregados, as empresas terceirizando todo o seu serviço, sendo que tais funcionários têm poucas garantias de estabilidade (ou nenhuma) e seus direitos não são respeitados pelas empresas contratantes, os salários e as garantias de uma maneira geral abaixam muito, tanto para os terceirizados quanto para os que permaneceram empregados.

Só que a coisa fugiu do controle, e até o FMI e o Banco Mundial já enviaram ao governo notas alertando para imensa exploração econômica que está ocorrendo aqui. Sem contar com o “compromisso” que o Brasil tem com estes organismos de acabar, até 2005, com o Direito do Consumidor, e com o Direito do Trabalho (sabe-se lá Deus quando). A professora indicou consultarmos o site do Ministério da Economia (Planejamento, Orçamento e Gestão), pois de lá dá para acessar tais “acordos” e “compromissos”… Aí vão os links:

No site do FMI eu não consegui consultar direito, mas quem tiver interesse e chance, e conseguir descobrir alguma coisa, por favor, me avisem.

Gente, não é a professora Ellen que pensa isso não, viu? Para não citar Marx, vou de Ada Pelegrinni Grinover, J. J. Calmon de Passos, Carlos Watanabe, Márcio Túlio Vianna, Maurício Godinho Delgado e muitos outros que falam desta mesma “contaminação”, mas talvez de forma mais branda.

Sei que parece utópico, gente, mas a chave para começarmos a fazer alguma coisa sobre isto é votando direito. Se vocês não estiverem satisfeitos com nenhum dos candidatos que aparecem por aí, não se intimidem e ANULEM o voto, pois VOTO NULO é voto VÁLIDO, demonstra o inconformismo e indignação com a situação que nos deparamos!

Até mais ver, e, quem sabe, até lá estarei menos negativa, né?

Ana Letícia

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s