É, cresci!

Padrão

Outro dia mesmo falei isso num comentário em outro blog: quando era criança, eu simplesmente A.M.A.V.A final de ano… Vinha chegando novembro e dezembro, eu fazia contagem regressiva, na maior empolgação. Afinal, em breve chegaria meu aniversário (21.12, hã-hã), Natal e Réveillon, sem contar que as aulas do colégio estavam acabando – na minha época o ano letivo não era absurdamente gigantesco como é hoje, e no iniciozinho de dezembro a escola entrava de férias… Aulas de novo, só em fevereiro do outro ano: Ô vida boa!

Também, ficava à toa 02 meses, com um monte de festa, presentes para ganhar, viagem para a praia (geralmente Cabo Frio ou Iriri… na pior das hipóteses, iria para casa de meus avós em Nova Era, ou, se ficasse em BH, muita bagunça na casa das primas, banhos de mangueira no sábado ensolarado, ao cinema, comer bobagem, vídeo o dia todo, etc, etc…).

E quando o ano novo chegava era ainda melhor, pois tinha a ansiedade de começar as aulas, a nova turma, “Será que o fulaninho vai estar na minha sala?”; “Será que vou ficar junto com minhas amigas de novo?”… E dá-lhe compra de estojo e canetas perfumadas e coloridas, caixa de lápis de cor novinha em folha, encapar caderno, agenda nova, quem sabe rolava uma mochila bem “transada” nova…

Hoje em dia, o as coisas mudaram ou fui eu que mudei? Ou melhor, eu cresci né? Será que estou ficando velha e rabugenta? Para mim, depois que virei “gente grande” (ah tá, com 1,58m… rsrsrs), fim de ano é sinônimo de STRESS: muita chuva, trânsito caótico, falta de dinheiro, gastos excessivos com presentes e fechamentos de contas, o 13º que não dá pra nada, correria com prazos “pra ontem” no trabalho, pois todo mundo deixa tudo para a última hora e acaba sobrando pra mim… Ixi! O ano acabou e eu nem vi…

É! Eu era feliz… e sabia!

Ana.

Anúncios

Sobre Ana Letícia

@analeticia Autora do blog Mineiras, uai! desde 2004, nasceu em Belo Horizonte-MG. É advogada e sagitariana. Gosta de poesia, literatura, fotografia música boa e dança clássica, contemporânea, de salão, etc. Já quis ser bailarina, como toda menina, e até hoje fica nas pontas dos pés. Participou do Projeto Macabéa com outros escritores blogueiros do Brasil, e foi uma das editoras do Castelo do Poeta, junto com seu primo, o saudoso poeta João Lenjob.

COMENTE!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s